Tendências em Jeans, Denim e Brim
Vicunha Têxtil

CASA DE CRIADORES N.44: sarjas foram destaque na semana de moda

04 de Dezembro de 2018

Entre os dias de 26 a 30 de novembro, o MAC-USP recebeu a 44ª edição da Casa dos Criadores, apresentando propostas inovadoras, grandes talentos emergentes do mercado de moda brasileira e, mais uma vez, apoiando o evento que possui mais de duas décadas de história.

Presente em 18 desfiles, reafirmamos nesta temporada nossa conexão com o universo criativo da moda, tecnologia e sustentabilidade, em peças exclusivas que compõem e traduzem grandes inspirações de talentos da moda nacional: Alex Santos + Van Loureiro, Angela Brito, Cajá, Felipe Fanaia, Heloisa Faria, Igor Dadona, Jorge Feitosa, Ken-gá, Martins.Tom, Notequal, Rafael Caetano, Renata Buzzo, Rober Dognani, Rocio Canvas, Saint Studio, Isaac Silva, Von Trapp, Brechó Replay e o projeto Sou de Algodão.

Dentre os destaques da temporada, estão as diferentes formas do uso da sarja da Vicunha, que transita entre as peças arquitetônicas e minimalistas da Saint Studio, com as sarjas de alfaiataria Lana Power Plus, Ypoá e Kidman; a pegada safari de Martins.Tom em peças criadas com o brim Madrid; o mood apocalíptico dos estilistas Alex Santos e Van Loureiro reproduzidos através de tecidos como Lana e Haiti plus. Das peças volumosas e acetinadas da estreante NotEqual com Ypoá, até brasilidade desfilada pela Cajá, contrastando shapes fluidos compostos pelos artigos Evian e Stacy e criações estruturadas e assimétricas nas sarjas Glory e Hunter.

Com foco na sustentabilidade, Jorge Feitosa trabalhou em retalhos na composição Capitu Fluo, Herbie e Tarantino; e Renata Buzzo apostou nos tecidos White Jeans e Baldwin em peças produzidas com zero resíduo. Numa pegada tecnológica, destaque para o universo vibrante de Felipe Fanaia em looks marcantes no Tech Rippel. O artigo também foi a escolha para as criações divertidas em cores fortes de Igor Dadona, e nos looks metalizados de Rafael Caetano.

Grande novidade da marca para essa edição é o Absolut Eco, que foi estreado na última edição do SPFW e se destaca por reduzir em até 95% no consumo de água e até 90% no consumo de químicos em sua produção, além de utilizar matéria-prima reciclada e não levar tingimento. O tecido foi utilizado pela KEN-GÁ em peças com inspiração na era digital e seus fenômenos.

O denim foi elemento principal para Heloísa Faria, que apostou no clássico Bradley com lavagem e shapes que remetem ao formato das nuvens. Isaac Silva escolheu o moderno Missy Luminous - com um azul poderoso e vivo - para looks que revisitam a ancestralidade do estilista, aproveitando a beleza do tecido também em seu avesso. Já no desfile do movimento Sou de Algodão, uma apresentação assinada por criadores diversos que nasce com o objetivo de aumentar a demanda pelo algodão através da conscientização do consumidor, teve Gaby Amarantos com look total Metallic Denim; e duas criações inusitadas da marca KEN-GÁ, que apostou no upcycling de calças e camisas jeans para apresentar na passarela vestidos amplos e volumosos em 100% denim.

O algodão é utilizado de diversas formas entre os estilistas e resultam em peças únicas, como é o caso da alfaiataria da Rocio Canvas com os artigos Bolt e Ypoá, e da coleção Vento Leste de Angela Brito, onde a fibra é o elemento principal, contemplada em diferentes sarjas, das mais leves às mais estruturadas. O desfile de Angela foi composto 100% por tecidos da Vicunha, com destaque mais uma vez para o Tech Ripell – que teve grande presença também na coleção dramática de Rober Dognani.

Confira as trends da passarela e as bases usadas em algumas das criações de cada estilista:

UTILITARISMO

1.JPG

Artigos escolhidos:

1.1.JPG

 

PAINÉIS DE COR2.JPG

 

Artigos escolhidos:

2.1.JPG

 

FLUIDEZ

3.JPG

 

Artigos escolhidos:

3.1.JPG

 

SHAPES ESTRUTURADOS

4.JPG

 

Artigos escolhidos:

4.1.JPG

 

ROMANTISMO COOL

5.jpg

 

Artigos escolhidos:

5.1.JPG

 

PRINT PARTY

6.JPG

 

Artigos escolhidos:

6.1.JPG

 

CLEAN LOOK

7.JPG

 

Artigos escolhidos:

7.1.JPG