Tendências em Jeans, Denim e Brim
Vicunha Têxtil

CASA DE CRIADORES: Tecidos Vicunha desfilam em evento

17 de Maio de 2017

#galeria#

A 41ª edição da Casa de Criadores, que aconteceu entre os dias 8 e 12 de maio, marcou os 20 anos do evento que tem como missão revelar novos talentos da moda brasileira. Parceira há mais de 11 edições, a Vicunha Têxtil apoiou novamente jovens estilistas, que utilizaram jeans e sarjas versáteis para compor coleções autorais e surpreendentes. Para o Verão 2018, o evento trouxe desfiles criativos, repletos de mensagens questionadoras e características subversivas.

Confira abaixo mais detalhes sobre os desfiles apoiados pela fabricante.

Cemfreio

A marca Cemfreio, do criativo Apolinário, trouxe coleção baseada em pequenos rituais da infância do estilista, com forte mensagem sobre autoexpressão. Os looks mesclaram shapes de alfaiataria com a pegada streetwear. O denim Giselle Luminous foi escolhido para conferir despojamento a saias e casacos assimétricos, enquanto London trouxe fluidez a vestidos masculinos e femininos. Já o brim Fluid garantiu leveza a camisas na cor branca.  A presença da drag queen Pabllo, ao final da apresentação, transformou o desfile numa festa.

Fernando Cozendey

Com uma coleção inspirada na estética dos anos 90, o estilista resgatou elementos hits da época, como calças flare, pochetes, viseiras e macacões, em uma coleção feita totalmente em denim. Destaque para o mix entre shapes urbanos e a “moda praia”. O denim Raíssa dominou a coleção e trouxe versatilidade às peças, figurando em lavagens claras e com efeito tie dye, com uma pegada artesanal. “Escolhi um jeans com muito elastano na composição para me dar a liberdade de trabalhar looks mais amplos”, explica.

Ocksa

A nova coleção da dupla Deisi Witz e Igor Bastos se inspirou na fluidez dos organismos vivos, para unir a resistência sólida à vulnerabilidade do efêmero que emerge das experiências. Para tanto, foram usados materiais que remetem a essa dualidade. Com shapes soltinhos, os estilistas apostaram nos brins leves Fluid e Bari, este último com toque rústico, utilizados em recortes e nos bolsos em texturas diferentes. Pochetes amarradas na diagonal levaram o brim Tech na cor prata, com brilho sutil.

Felipe Fanaia

Felipe Fanaia apresentou uma coleção criativa e colorida, com um resgate da estética dos anos 90, tendo como inspiração a cantora Cher. Com uma proposta divertida e pegada urbana, os looks trouxeram shapes desestruturados com um toque esportivo. Destaque para os casacos, calças e macacões com estamparia da Vicunha, trazendo charme a peças masculinas. O brim Tech na cor vermelha foi a escolha do estilista para casacos longos e calça desconstruída em shape amplo. Com aspecto jeanswear, o brim Ellie na cor branca foi utilizado em calças e blusas.

Ellias Kaleb

Com uma coleção delicada, Ellias Kaleb apresentou no Casa de Criadores uma performance utilizando sacos rasgados e poeira. Levando o universo feminino à moda masculina, o estilista apostou em elementos florais, inclusive em adereços que levavam flores em blocos de gelo. Bordados de fitas de cetim e recortes de tafetás aplicados em viscoses e sarjas conferiram ar lúdico aos looks. Para a criação de camisas leves, a aposta foram os brins Luca e Stacy, nas cores preta e branca. Já o brim Tech, com seu brilho sutil, apareceu em retalhos amarrados a calças.

ACRVO

Pela segunda vez no evento, a dupla Hugo Ito e Lucas Romano, da marca ACRVO levou ao Casa de Criadores o universo jovem e escolar, em parceria com o filme “Como Se Tornar O Pior Aluno Da Escola”, de Danilo Gentili, que estreia no segundo semestre deste ano. A quebra de padrões apareceu em uma coleção divertida, com mensagens subversivas apresentadas nas estampas criadas por sublimação pelos estilistas. “Escolhemos o brim Bardot pela versatilidade. É um tecido camaleão, que fica diferente nas mãos de cada estilista. É uma coleção bem diferente e ele nos permitiu trabalhar com criatividade”, explica Hugo.

Caroline Funke

Novamente entre os talentos do Projeto LAB, Caroline Funke transformou um conto chamado Baile de Máscaras, do livro de histórias da marca, em uma coleção inspirada na dualidade de sentimentos. Os looks mesclaram, em uma roupagem contemporânea, referências de trajes de gala dos bailes de diferentes épocas. O brim Tech, com brilho sutil, foi escolha para casacos e saias. “Achei incrível a textura dele. Queria trazer o clima de gala e esse tecido representa isso”, explica. Já o brim Stacy apareceu em um vestido leve trabalhado na máquina, enquanto o brim Felicia se destacou em um casaco masculino bege com pegada de alfaiataria.

Diego Fávaro

Há 7 anos marcando presença na Casa de Criadores, Diego Fávaro apostou, desta vez, em uma coleção colorida e despojada, baseada em pedidos de socorro, tendo como inspiração a própria experiência pessoal do estilista. Com uma variedade de símbolos utilizados com frequência em pedidos de ajuda, os looks trouxeram tecidos confortáveis e peças aconchegantes. Com o brim Tech, nas cores branca e vermelha, criou parkas, calças e shorts, além de acessórios utilitários. “Gostei das cores e da textura encerada. Com ele, conseguimos dar rigidez e estrutura para as peças”, conta Diego.

Rafael Caetano

O universo queer, a cultura de bailes e os ringues de dança inspiraram Rafael Caetano, em sua coleção que trouxe looks despojados, com uma pegada urbana. Destaque para o trabalho do estilista de mescla do brim Tech na cor branca, marcado por seu acabamento especial, com tela Dry Fit. O tecido apareceu em um maxi coat, combinado a um macacão na cor branca, e também em dois shorts curtinhos. “Busco na Vicunha a capacidade de unir, ao mesmo tempo a novidade e a essência. Trabalhamos em 2012 com as sarjas resinadas que imitavam leather e adoramos esse brim, por sua textura diferenciada”, ressalta Caetano.

Alex Kazuo

Conhecido por suas coleções sóbrias e elegantes, sempre com peças na cor preta, Alex encantou o público novamente com criações leves. Para a criação de um vestido leve e de camisas, o estilista apostou no brim Luca, de visual sofisticado e toque agradável. “Gosto de criar a minha coleção sem pensar em conceitos pré-determinados. Para mim, é importante que os tecidos me permitam realizar acabamentos manuais”, explica.

Karin Feller

Karin Feller criou uma coleção delicada que reflete a sua identidade, marcada por peças românticas. Para a criação de peças mais estruturadas, a estilista escolheu novamente o brim Ypoá, que costuma figurar em suas criações para a Casa de Criadores. De visual refinado, o tecido apareceu em um casaco leve e em saias longas e soltinhas. “O tecido tinha que ter o caimento e qualidade que o Ypoá tem. Por isso, o escolhemos novamente”, conta.

Igor Dadona

Inspirado pela série “Saltimbanques”, do fotógrafo francês Lucien Clergue, Igor Dadona apresentou uma coleção que propôs a reflexão sobre as máscaras sociais por meio da figura do palhaço. Mesclando camisaria leve com estampas delicadas a casacos estruturados, os looks trouxeram um toque despojado. Com o brim Cher na cor branca, que possui aspecto leather look, o estilista criou trench coats, casacos e calças. Já o brim Tech, nas cores branca e vermelha, figurou em casacos que com diferentes recortes de tecidos, em um macacão e uma calça, conferindo brilho sutil.

Isaac Silva

Mais uma vez, Isaac Silva levou ao evento uma coleção alegre e colorida, repleta de mensagens sobre empoderamento feminino. Dessa vez em parceria com a influencer Magá Moura, o estilista apresentou looks com referências à temática Girl Gang, divididos em duas frentes: uma com cartela de cores candy e texturas surpreendentes e outra focada no denim de aspecto tradicional. Para a criação de casacos longos, vestidos e calças, utilizou os denims Wild e Life, da linha Eco Recycle, pautados pelo desperdício zero de recursos naturais. “Queria um jeans em estado bruto e este tecido tem ainda uma pegada sustentável, algo importante para a moda”, explica Isaac.

Heloisa Faria

Heloisa Faria apresentou uma coleção que teve como tema “estar aberto para o que encontramos no caminho”. Por isso, optou por um casting com modelos de todos os tamanhos e formas. “Para esta edição nossa proposta é a de uma coleção sustentável, com um viés vintage. Gostamos de fazer roupas e celebramos os encontros que o processo de criação possibilita. Por isso a variedade de modelos, tecidos e cortes”, explica. Para camisas leves, a estilista apostou nos denims Stacy e Foxx, que também foram escolhidos para blusas, macacões, calças, saias e bermudas. Destaque para os tecidos estampados com listras, que trouxeram aspecto nostálgico e romântico à coleção.